terça-feira, 26 de agosto de 2014

FC Porto de novo na fase de grupos da Champions League

26/08/2014 - FC Porto 2 Lille 0

Numa autêntica noite de Champions, parabéns para a equipa portista que se exibiu em grande estilo. Toda a equipa mostrou grande empenho, atitude e profissionalismo, exibição parecida com as dos bons velhos tempos!


Na minha opinião os melhores

Destaques: em primeiro lugar Casimiro, uma exibição de se lhe tirar o chapéu!
Logo seguido de: Danilo, Maicon, Indi, Herrera, Óliver, Brahimi e Jackson, com os restantes muito perto.


FC PORTO
LILLE
PLAY-OFF, 2.ª MÃO
249'  Brahimi 69'  Jackson Martínez (c) 
0









Competição: UEFA Champions League - Estádio: Dragão, Porto


Assistência:45.208

Árbitro: Svein Oddvar Moen

Assistentes: Kim Thomas Haglund e Frank Andas; Ken Henry Johnsen e Svein-Erik Edvartsen

4º Árbitro:Sven Erik Midthjell

FC Porto: 12 Fabiano, 2 Danilo, 4 Maicon, 3 Martins Indi, 26 Alex Sandro, 6 Casemiro,

36 Rúben Neves, 30 Óliver Torres, 16 Herrera, 8 Brahimi, 9 Jackson Martínez (c)

Suplentes: 25 Andrés Fernández, 13 Reyes, (39' Alex Sandro), 15 Evandro,

(62' Rúben Neves), 10 Quintero, 21 Ricardo, (84' Casemiro), 7 Quaresma, 18 Adrián López

Treinador: Julen Lopetegui


Lille: 1 Enyeama, 18 Béria, 22 Rozehnal, 14 Kjaer (89'), 23 Souaré, 24 Mavuba (c),

5 Gueye (70'), 4 Balmont (81'), 2 Corchia, 26 Roux, 27 Origi,

Suplentes: 16 Elana, 6 Delaplace, (77' Gueye), 9 Rodelin, 13 Soumaoro, 15 Sidibé,

17 Marcos Lopes, (71' Corchia), 20 Ryan Mendes, (67' Roux)

Treinador: René Girard

Opinião da crítica portista:
Ao ultrapassar esta eliminatória com a formação francesa, os Dragões garantiram a 19.ª presença na principal competição europeia de clubes, registo que só FC Barcelona, Real Madrid e Manchester United conseguem igualar.

Primeira parte do FC Porto mas sem golos.

O momento da noite haveria de surgir pouco depois do reatamento. No seguimento duma reentrada forte por parte dos Dragões, Brahimi abriu o livro na cobrança exímia de um livre directo (espectacular) que deixou Enyeama sem reacção (49m).
Os mais de 45 mil portistas nas bancadas festejaram exuberantemente a obra de arte assinada pelo internacional argelino, que ainda se deu ao luxo de assistir Jackson Martínez para o segundo golo da noite (69m). Com um passe açucarado Brahimi serviu Jackson e o capitão portista fez o que melhor sabe, de frente para a baliza rematou de pronto (instintivo, sem preparação) e converteu, mostrando que a veia goleadora exibida neste início de época não é obra do acaso. Em relação à defesa e meio campo, é de realçar que a equipa continua intransponível ao fim de quatro jogos oficiais, zero golos sofridos.

Com classe e, acima de tudo, mérito, o FC Porto ultrapassou o Lille e está na fase de grupos da UEFA Champions League, uma competição que conhece como poucos. Este Dragão merece e a Europa agradece.
Lopetegui: "Fizemos dois jogos magníficos"

​“Foi muito difícil, pois tivemos pela frente um grande adversário. A equipa fez dois jogos magníficos e está de parabéns, pois mereceu ultrapassar esta eliminatória. Os adeptos foram maravilhosos e ajudaram-nos a concretizar um objectivo muito importante para nós, que era estar na UEFA Champions League”, afirmou o técnico espanhol.

“Estamos a construir uma equipa e continuamos a precisar de melhorar em vários aspectos. Fizemos dois grandes jogos frente a uma equipa forte e que exigiu o máximo de nós. Só conseguimos vencer o Lille porque trabalhámos muito para isso”.

“Começámos bem o jogo, mas perdemos fulgor na parte final da primeira parte. Reentrámos forte na segunda e o grande golo do Brahimi deu-nos mais tranquilidade, sabendo, ainda assim, que nunca poderíamos relaxar frente a uma equipa como o Lille”.

Julen Lopetegui : “Uma equipa que quer ser bem sucedida tem de ser forte em todos os sectores”. "Estamos a responder bem em termos defensivos, mas podemos ser ainda melhores. Estamos felizes por estar na UEFA Champions League. É algo muito importante para o clube e para os nossos adeptos”.

Jackson: “Estamos preparados para perseguir as vitórias”

​​ “Fizemos um bom trabalho frente a uma equipa que lutou muito. Estava a ser difícil controlar o jogo e soubemos esperar e organizá-lo, para conseguirmos jogar mais perto uns dos outros. Estou contente pelo apuramento. Penso que tivemos muitas ocasiões de golo e que estivemos bem defensivamente”, destacou o avançado colombiano.

“Os triunfos são colectivos e são mais importantes do que aquilo que posso alcançar individualmente. O importante é que eu esteja bem quando surgirem ocasiões de golo para poder marcar”. Em relação aos adversários futuros, Jackson deixa o aviso: “Há jogos mais difíceis, outros mais tácticos, e temos de tratar de entrar sempre como temos trabalhado na pré-época. Sempre preparados para perseguir as vitórias, como esta, que foi importante”.

“Penso que os adeptos têm de aprender a ajudar a equipa a ultrapassar os momentos difíceis. Em qualquer competição, em qualquer jogo, toda a gente tem de apoiar a equipa - é disso que precisamos. A equipa entrega-se, dá sempre o seu melhor e o apoio ajuda-nos a ultrapassar as dificuldades”.

Maicon: “Foi uma vitória mais do que merecida”

O central brasileiro referiu que a equipa esteve em excelente plano, tanto no Dragão, como no Pierre-Mauroy, em Lille: “Estudámos bastante a equipa do Lille, eliminámos os pontos fortes deles e creio que foi uma vitória mais do que merecida. Somos uma equipa jovem, com personalidade, que gosta de jogar em posse e que foi superior nos dois jogos”.

Maicon afirmou também que “o plantel tem alternativas, com jogadores que completam quem está a jogar” e realçou a justiça do resultado: “A equipa procurou sempre a vitória e conseguimos o nosso principal objectivo, que era a qualificação”.

1 comentário:



  1. caro Armando,

    não há como escapar a este facto, porventura incómodo para alguns: (pelo menos) 10.7M€ encaixados (2.1M€ pela participação no 'play-off' e 8.6M€ pela passagem à fase de grupos).

    é certo que foi "no risco", e espera-se que "a graça" não se repita tão cedo, mas assim ainda soube melhor a vitória.

    abr@ços
    Miguel | Tomo II

    ResponderEliminar

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.