terça-feira, 12 de agosto de 2014

Rúben Neves o puto maravilha do FC Porto

12/08/2014 - Rúben Neves: 17 anos, «um líder por natureza no meio-campo»

Os motivos e predicados que o levaram a encantar Lopetegui.
José Guilherme treinou-o nas duas últimas temporadas e fala de um miúdo que «entra no campo sempre para aprender»

Julen Lopetegui está «encantado» com ele. Afinal, o que é que Rúben Neves tem?

Aos 17 anos, o menino do FC Porto afronta um cenário de profunda improbabilidade. Se a sua vida não tivesse dado uma volta de 180 graus neste verão, Rúben estaria agora a preparar a estreia no escalão júnior.

A venda de Fernando, a lesão de Mikel e a presença de Tomás Podstawski no EuroSub19 viabilizaram a sua chamada aos treinos do plantel principal. Lopetegui, que o conhecera no Campeonato da Europa de sub17, já não o deixou sair do grupo.

«Não é surpresa nenhuma. Nem para mim, nem para quem o conhece bem», afirma, sem hesitar, José Guilherme. O treinador orientou Rúben Neves nas duas últimas campanhas nos juvenis do FC Porto.

A qualidade está lá. É óbvia. Assalta mesmo os mais distraídos. Mas José Guilherme avisa que Rúben pode dar «muito mais». «O Rúben está a competir num nível de complexidade enorme e a dar uma resposta fantástica. Tem, porém, uma margem de progressão gigante».

«É um jogador inteligente, possuidor de uma capacidade técnica notável e uma compreensão do jogo acima da média», acrescenta o técnico que com ele trabalhou nos dois recentes anos.

«Não gosta, não aceita treinar mal»

Rúben chegou ao FC Porto em 2005, com oito anos, depois de dar os primeiros passos no Lusitânia de Lourosa. Fez todo o percurso nos dragões - salvo uma passagem pelo Padroense, clube de Matosinhos que tem um protocolo com o FC Porto.

Desde a primeira hora, o centrocampista mostrou uma aptidão anormal para «comandar o meio-campo, ser líder». «Sempre foi um jogador para a posição-seis. Muito compenetrado, concentrado, um líder por natureza».

O perfil levou Rúben Neves a ser o capitão das várias equipas por onde passou. «Não é um rapaz exuberante, mas faz-se ouvir facilmente. Todos o escutam», diz José Guilherme.

Mesmo nos treinos, e apesar da essência adolescente, Rúben Neves não facilita. «Entra para o campo com o firme propósito de evoluir, melhorar», sublinha o ex-técnico do FC Porto.

«Sempre afirmei que ele devia estar a competir num patamar acima, superior ao que lhe é imposto pela idade. Além da qualidade que lhe é inata, o Rúben é capaz de se fazer distinguir pelo comportamento diário: não gosta, não aceita, de treinar mal».

«Passe, recepção, reacção à pressão: o Rúben domina tudo»

Testes exigentes, um rapaz num grupo de homens, impressões fantásticas e convincentes. Rúben Neves enche o país futebolístico de pasmo.

Além de revelar primor no passe - «curto, longo, lateralizado», - o médio defensivo tem sido chamado por Julen Lopetegui a bater cantos e livres. José Guilherme diz que é a consequência «lógica» do papel de Rúben ao longo dos anos.

«Isso sucede, lá está, pela excelente técnica individual que tem e que eu elogiava. Passe, recepção, reacção à pressão, o Rúben domina todos esses itens. Sem qualquer dúvida, é um atleta que merece todas as oportunidades».

Rúben Neves foi apresentado como elemento do plantel sénior. Nesta altura, Casemiro é a outra opção para o lugar mais recuado do meio-campo. A opção, talvez, prioritária. Rúben tem uma cláusula de 20 milhões de euros e está ligado ao FC Porto até 2017.

Vale a pena recordar a crítica (construtiva) de Maisfutebol nos últimos jogos de preparação do FC Porto:

Rúben Neves contra o Genk:
«17 aninhos apenas, cara de miúdo e tanto futebol no corpo. Sereno, compenetrado, uma opção excelente para a posição-seis. Muito melhor do que Josué a exercer o cargo. Sabe o que faz, entrega com qualidade e bate bem os pontapés de canto. Deixem-no crescer, senhores».

Rúben Neves contra o Saint-Etiènne:
«Bom posicionamento, técnica refinada, leitura de jogo: atributos que facilmente se reconhecem em Ruben Neves. Quase marcava, em bom remate a rasar o poste da baliza de Moulin, após grande jogada iniciada por Quaresma e prosseguida por Ricardo. Saiu ao intervalo, com balanço muito positivo».

Julen Lopetegui, treinador do FC Porto, na conferência de Imprensa após o empate com o Saint-Étienne:

«Os que demonstrarem capacidade para jogar terão a sua oportunidade e todos merecem a nossa atenção. O Rúben é um miúdo de apenas 17 anos, mas com muita vontade. Estamos encantados com ele.»

«Foi um jogo de preparação e fizemos alinhar vários jogadores com apenas três ou quatro dias de preparação com a equipa. Queríamos acumular minutos de jogo. Quisemos experimentar coisas, assentar conceitos e agora temos de continuar a trabalhar. E isso implicou fazer experiências também»

Luís Castro sobre Rúben Neves

Luís Castro não será dos mais surpreendidos com o desempenho de Rúben Neves, o jovem médio de 17 anos que tem sido um dos protagonistas da pré-temporada do FC Porto. "No dia que o Rúben Neves pôde assinar um contrato profissional, assinou. E assinou porque o FC Porto entendeu que estava perante um jogador que merecia uma atenção especial. O ano passado fez a pré-temporada com o FC Porto B, porque já víamos qualidades nele. Entendemos que esta época ele devia saltar a fase dos sub-19 e ser colocado diretamente na equipa B", afirmou Luís Castro em entrevista ao Porto Canal.

"O Julen Lopetegui entendeu, depois de receber informações e observar o Rúben, que o devia recrutar para a equipa principal do FC Porto", explicou o treinador dos bês portistas, não vendo neste salto qualquer risco. "Fala-se em talento técnico e táctico, mas o Rúben Neves tem um talento mental extraordinário. É um jogador que encara o jogo com uma tranquilidade extraordinária, sabe o que jogo pede".

A idade não é nem será um problema, considerou Luís Castro. "Falar em maturidade nos sub-19 e equipas B deixa de fazer sentido. Quando um jogador cumpre a sua fase de desenvolvimento de forma sustentada é porque tem essa maturidade. Eu, pessoalmente, nunca me refiro a isso como desculpa ou explicação. Os jogadores todos os dias são trabalhados e tratados como homens, por isso têm de jogar como um homem. O Rúben Neves tem de jogar como um homem, porque foi tratado como um homem", concluiu.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.