sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Brasão abençoado de Pedro Marques Lopes

29/08/2014 - Pedro Marques Lopes um preclaro cronista!

Extracto da sua crónica  em A Bola

…Claro que a equipa ainda mostra debilidades, claro que falta transformar em oportunidades de golo o enorme caudal ofensivo e a esmagadora posse de bola, claro que ainda há faltas de concentração (menos a cada jogo, diga-se), claro que não será fácil para Lopetegui gerir um plantel com tanta qualidade e, sobretudo, com tantos jogadores ambiciosos, claro que ao que Lopetegui quer – uma equipa sem equipa base – é dificílimo e exige muito tempo, claro que impor os mesmos níveis de motivação em jogos do campeonato e da Liga dos Campeões em jogadores com horizontes, digamos, muito largos não será fácil. Mas, se com nem dois meses de trabalho em conjunto, com treze novos jogadores, com uma enorme pressão logo de início (não havia jogador que não soubesse da importância da qualificação para a Champions), com esquemas táticos novos, com jogadas de bola parada estudadas (temos vários marcadores e os cantos não são despejos de bolas para a área, aleluia) já se veem tantas coisas boas, há boas razões para os portistas estarem otimistas.
Este FC Porto está a convencer. Mais, estou absolutamente convicto que esta equipa do FC Porto vai dar a todos os portistas grandes alegrias e vai passar à históriacomo uma das mais brilhantes de sempre.

Ainda a procissão vai no adro, “mister”
Lopetegui, na conferência de imprensa após o jogo com o Lille, disse que o adversário não foi suficientemente valorizado – aparentemente, para muito boa gente, um terceiro lugar no campeonato francês é como ficar em terceiro na distrital de Bragança.
O treinador do FC Porto ainda não sabe mas verá que os adversários do FC Porto são sempre acessíveis e que um eventual desaire será uma vergonha sem nome. Por outro lado, as nossas vitórias serão sempre contra uns pernas de pau e remetidas para notas de rodapé.
Bem vindo à nossa realidade, Mister.

Os grandes
Real Madrid, Barcelona, Manchester United e FC Porto. Eis os quatro clubes europeus que contam com 19 presenças na mais importante competição de futebol do mundo. Todos ganharam a prova.
Numa altura em que, como nunca, o investimento na construção das equipas é gigantesco, em que muitas equipas gastam muitos milhões, em que as televisões são a cores e já não se joga de chuteiras de travessas, o FC Porto faz parte da mais estrita elite futebolística. E consegue pertencer a este grupo gastando, comparativamente, tostões.
Não há conversa que altere a realidade, mas, felizmente, há muitos antiácidos disponíveis no mercado.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.