sábado, 8 de fevereiro de 2014

A Juventus pretendia transferência de Fernando a custo zero

Acredito que notícia seja verídica, pois os italianos são os inventores da máfia!
Mas como é lógico, os dirigentes dos Dragões não iam ficar impávidos e serenos perante a possibilidade de tal situação poder acontecer...!
Por isso é com grande satisfação que verifico que afinal os dirigentes do clube azul e branco estão atentos e continuam incisivos!
Viva! Fernando renovou até 2017.


A Juventus pretende garantir a transferência de Fernando a custo zero, avança esta quinta-feira o jornal "Tuttosport", comparando o exemplo do médio do FC Porto a negócios semelhantes dos campeões italianos.
O diário desportivo de Turim aponta os casos de Paul Pogba (Manchester United), Andrea Pirlo (Milan) e Fernando Llorente (Athletic Bilbao) para destacar a habilidade do administrador delegado Giuseppe Marotta em conseguir preparar o terreno no inverno para depois se mexer com rapidez e precisão cirúrgica, concretizando as contratações no verão.
É com astúcia que o clube de Turim tem vindo a "superar o fosso económico", que o separa de outros clubes europeus com maior poder económico, escreve o "Tuttosport". O processo está em marcha agora para assegurar o médio portista.
O relato salienta que as caraterísticas de Fernando se encaixam na perfeição no que são os dois sistemas táticos utlizados pelo treinador Antonio Conte, o 4x3x3 ou o 3x5x2.
O "Tuttosport" encerra o artigo sublinhando que dificilmente o FC Porto conseguirá convencer Fernando a renovar o contrato, que termina em junho deste ano, apesar das negociações continuarem.


PS - Diferendo entre Liga e FPF
Na carta, a Liga admite, implicitamente, o que o FC Porto também alega, ou seja, que a inscrição de Quaresma foi paga (estão em causa 4260 euros) e que tudo está regularizado, no que às obrigações do clube respeita. O dinheiro, esse, não chegou aos cofres federativos, a pretexto de uma dívida à FPF que a Liga decidiu não pagar.
A versão do organismo presidido por Mário Figueiredo é diferente e está resumida na carta da qual a Lusa reproduz excertos. "A Liga tem um crédito sobre a FPF, que resulta do pagamento de quotas de inscrição que os vossos serviços cobraram em duplicado. Igualmente bem sabe que está a ser exigido pela FPF o pagamento de quotas de inscrição de jogadores que não se inscreveram na época desportiva 2013/14, que a Liga, naturalmente, não aceita e, como tal, não exigiu aos clubes", defende-se, no documento em que se informa que já estava marcada para segunda-feira uma reunião para discutir estes assuntos.

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  2. Manuel: vou responder-lhe pela primeira e que será provavelmente a última vez que o faço.
    O que afirma carece de confirmação que como é evidente tem de ser feita por gente credível. Portanto sugiro-lhe que se abstenha de vir para aqui com conversas da treta, ou seja, não fundamentadas.

    PS - respondo-lhe porque não foi insultuoso, no futuro se quiser que lhe preste atenção fundamente melhor as afirmações denunciando as suas fontes, a fim de ver se me merecem ou não crédito.

    ResponderEliminar

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.