domingo, 2 de fevereiro de 2014

Luís Castro quer "Bês" concretizadores frente ao Marítimo

02/02/2014 - Veremos se a equipa "B" consegue amenizar o desgosto pela derrota da formação principal no Funchal (terreno do Marítimo).
Se mostra à equipa principal como se faz...!


31/01/2014 - O FC Porto B enfrenta a equipa secundária maritimista no domingo, às 16h00, no Estádio de Pedroso, e Luís Castro crê que só com uma formação empenhada e eficaz em frente à baliza poderá ser bem-sucedida.

O encontro é referente à 28.ª jornada da Segunda Liga e põe frente-a-frente o FC Porto B, terceiro classificado (a apenas dois pontos do primeiro lugar), ao Marítimo B, que é 12.º da tabela. No entanto, o técnico não espera facilidades: “Nunca sabemos que jogadores vamos encontrar quando jogamos com equipas B. Mas as dificuldades são sempre as mesmas quando encontramos equipas do nível do Marítimo B - apresentam boa organização, boas dinâmicas de jogo e têm jogadores com cultura táctica elevada”.

A eventual presença de jogadores da equipa principal foi relativizada: “Aquilo que temos conseguido até agora é porque os jogadores têm conseguido absorver as nossas ideias de jogo. Isso tem-nos levado a um campeonato estável, tranquilo, sem grandes oscilações de rendimento. Evidentemente, os jogadores da equipa principal têm vindo a ajudar-nos a atingir um patamar mais elevado e são uma mais-valia, mas também temos conseguido, através dos atletas do FC Porto B e dos Sub19, uma boa prestação”.

O treinador dos Dragões deixou ainda algumas ideias quanto às movimentações do mercado e a sua influência na equipa B: “Sabemos que o futebol, hoje em dia, tem um mercado extremamente aberto, que chega a ter patamares de confusão em determinados momentos. Estamos tão sujeitos a saídas e entradas como as outras equipas. Nós, como treinadores, estamos habituados a esta situação e não mexe tanto connosco. No entanto, não senti os jogadores instáveis e sei que eles estão conscientes de que têm de olhar apenas para o trabalho que fazem no FC Porto B”.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.