domingo, 16 de fevereiro de 2014

FC Porto passa em Barcelos apesar de Paulo Baptista

Paulo Baptista à semelhança de Carlos Xistra (árbitros conotados com  o Sporting), embora não seja tão mau e anti-portista como por exemplo: Bruno Paixão ou Duarte Gomes árbitros ao serviço dos lampiões; é no entanto um juiz do apito que na dúvida decide sempre contra os dragões e costuma ser, como hoje, deveras profuso (pródigo) a distribuir cartões amarelos intimidatórios pelos jogadores azuis e brancos...! Em contra partida tem a tendência de fechar os olhos (benevolente) às entradas maldosas dos adversários do FC Porto!

16/02/2014 - Gil Vicente 1 FC Porto 2

Gostava de saber qual a razão porque Paulo Fonseca não aproveita as qualidades do Ghilas, um avançado de grande rendimento, que possui todas as condições físicas e técnicas, para aumentar a produção ofensiva da equipa!
Não creio que seja o caso de haver qualquer má vontade do líder da equipa técnica para com o jogador, mas que por vezes parece, parece!

Já não é a primeira vez que Paulo Fonseca só aos 85 minutos coloca o Ghilas a jogar na equipa, e, evidentemente que em cinco minutos o Ghilás pouco ou quase nada pode fazer.
E é devido às discutíveis (opções) preferências do treinador portista que os resultados esta época, em muitos casos, não têm sido bons.
Destaques pela positiva: hoje gostei bastante do Herrera cujo rendimento/produção na equipa esteve muito perto do óptimo, e, do Fernando cujo rendimento se aproximou do seu colega do meio campo!

O Varela pelos dois golos que marcou também merece destaque. 
Os quatro defesas alternaram nos altos e baixos, assim como o Josué e o Quaresma.
Quem me parece bastante aquém do seu rendimento normal é o Jackson!

GIL VICENTE
FC PORTO
19.ª JORNADA
155'  Hugo Vieira 
218'  Varela 53'  Varela 




Competição: Primeira Liga - Estádio: Cidade de Barcelos
Assistência:

Árbitro: Paulo Baptista (Portalegre)
Assistentes: José Braga e Valter Rufo

4º Árbitro: Jorge Tavares

Gil Vicente: 1 Adriano, 2 Gabriel, 4 Halisson, 14 Danielson, 5 Luís Martins (87'), 26 Luan (86'), 77 João Vilela (c), 27 Luís Silva (32'), 7 Diogo Viana, 70 Hugo Vieira, 13 Brito

Suplentes: 28 Caleb, 8 Pedró, (46' Luís Silva), 17 Leandro Pimenta, 19 Keita, 21 Caetano
(71' Diogo Viana), 23 Pek's, 99 Mosquera, (67' João Vilela)

Treinador: João de Deus

FC Porto: 1 Helton (c), 2 Danilo, 23 Abdoulaye, 22 Mangala, 26 Alex Sandro (42'), 25 Fernando (90'), 16 Herrera, 8 Josué, 7 Quaresma (17'), 9 Jackson Martínez, 17 Varela

Suplentes: 24 Fabiano, 4 Maicon, 10 Quintero, 11 Ghilas, (88' Varela), 19 Licá (90+1')
(70' Quaresma), 21 Ricardo, 46 Mikel, (90+3' Josué)

Treinador: Paulo Fonseca

FC Porto - Site

Dois golos de Varela - o segundo dos quais após um "slalom" de uns 40 metros - permitiram ao FC Porto vencer este domingo no terreno do Gil Vicente, por 2-1, e regressar assim à segunda posição da Liga portuguesa, a quatro pontos do líder Benfica. Os Dragões quebraram um enguiço que já tinha mais de oito anos: desde Novembro de 2005 que não venciam em Barcelos, tendo como registo dois empates e uma derrota.

Ao contrário de outros encontros recentes, desta vez o FC Porto entrou bem no jogo. Logo nos primeiros cinco minutos, Jackson e Quaresma tiveram remates perigosos, mas não conseguiram marcar. Aos dez minutos, Josué tirou dois adversários do caminho e ficou em boa posição, mas o remate saiu por cima da baliza do Gil Vicente.

O relvado, como esperado, apresentou-se pesado e demasiado mole, não favorecendo o jogo rápido e de troca de bola dos Dragões. Face a um adversário cauteloso e que apostava apenas no contra-ataque, o plano do treinador Paulo Fonseca parecia apontar para a obtenção de um golo cedo, antes que as condições do terreno se degradassem ainda mais. E o desejado golo surgiu mesmo aos 18 minutos: Herrera arrancou um excelente cruzamento da direita e Varela antecipou-se a Gabriel e cabeceou para o 1-0.

A matriz do encontro não se alterou até ao intervalo. Foi o FC Porto a ficar perto do segundo golo em três ocasiões, após remates de Josué (22 minutos), Danilo (24) e Jackson (40). A melhor destas situações foi mesmo a criada por Danilo, cujo remate de pé esquerdo bateu caprichosamente no poste. Da parte do Gil Vicente, apenas Brito, à passagem da meia hora, assustou os Dragões, que tiveram em Herrera o grande dínamo do meio-campo, durante os 90 minutos.

O segundo tempo até começou com um susto para Helton - Hugo Vieira esteve perto de desviar a bola para a baliza defendida pelo brasileiro -, mas foi o FC Porto a fazer o 2-0. Varela galgou meio campo com a bola antes de rematar de pé esquerdo, aos 53 minutos. Os Dragões pareciam estar perto de resolver o encontro, mas o Gil Vicente reduziu apenas dois minutos depois, por intermédio de Hugo Vieira, num lance confuso.

O golo da equipa da casa também não mexeu muito no equilíbrio de forças da partida: o FC Porto continuou a dominar as operações a partir de uma nítida superioridade a meio-campo e criou várias ocasiões junto da baliza contrária. Com o passar do tempo, os minhotos foram correndo mais riscos e abrindo mais espaços atrás, mas sem conseguir criar perigo na frente. Varela - que parece ter sido agarrado na área gilista aos 58 minutos - esteve perto do "hat-trick", aos 70, mas rematou por cima quando tinha tudo para fazer o 3-1.

Depois do 2-1, o Gil Vicente não criou qualquer lance de aflição para a baliza de Helton, limitando-se a despejar algumas bolas para a área portista. De qualquer forma, o FC Porto não merecia que a incerteza em relação ao vencedor da partida se prolongasse até ao apito final, tal foi a superioridade evidenciada. Com uma exibição uns furos acima dos últimos encontros - e que permitiu a estreia de Mikel em encontros oficiais na principal equipa azul e branca - , a confiança parece reforçada para o regresso das competições europeias, já esta quinta-feira, com a recepção ao Eintracht Frankfurt.
 
16-02-2014 Paulo Fonseca: “Fizemos um excelente jogo”
​O treinador do FC Porto ficou satisfeito com a exibição da sua equipa no triunfo sobre o GIl Vicente, em Barcelos (2-1) e acredita que os números finais poderiam e deveriam ser mais folgados. Já Varela, autor dos dois golos portistas e principal destaque individual, realçou o mérito colectivo numa "vitória importante".

​“O golo sofrido foi a única nota negativa neste jogo. Num campo tradicionalmente difícil, com um relvado pesado, fizemos um excelente jogo e criámos inúmeras oportunidades de golo, com momentos de bom futebol. Não consentimos grandes veleidades ao Gil Vicente e foi pena termos sofrido um golo, pois não merecíamos. O mais importante foi termos vencido e creio que o fizemos de forma convincente”, afirmou Paulo Fonseca, que ainda guardou uma palavra para a massa adepta azul e branca. “Temos de ser nós a entusiasmar os nossos adeptos e eles foram essenciais nesta vitória”, frisou.

Silvestre Varela, a grande figura do encontro ao apontar os dois golos do FC Porto, destacou a exibição colectiva e garantiu que no pensamento dos jogadores não estava o jogo frente ao Eintracht Frankfurt, que se disputa na próxima quinta-feira. O internacional português sublinhou a dificuldade da partida frente aos gilistas e a importância dos três pontos somados em Barcelos.

“Foi um jogo difícil, num campo complicado, e uma vitória importante. Foi o colectivo que venceu este jogo e estamos todos de parabéns. Esperamos sempre o apoio dos adeptos, nos bons e nos maus momentos. Entrámos forte e as coisas acabaram por nos correr bem. Não estávamos a pensar no jogo de quinta-feira, pois este era o mais importante e sabíamos que tínhamos de vencer”.
 

2 comentários:

  1. Sobre o comportamento futuro dos dragões veremos, oxalá que tenhas razão.

    Totalmente de acordo relativamente ao teu comentário sobre o Herrera! Também gostei muito da exibição dele, e, acho que se continuar na equipa vai melhorar e muito.

    Sobre a APAF também, embora tivesses sido muito brando, porque os tipos da APAF merecem ser insultados pois estão constantemente a pôr-se a jeito!

    Só gostaria de dizer mais uma coisinha: não entendo o motivo porque o Paulo Fonseca não utiliza mais vezes na equipa o Ghilas e lhe dá mais minutos de jogo! Na minha opinião, vale o que vale, o Ghilas é actualmente um dos melhores avançados do plantel do FC Porto. É rápido, possante e com boa técnica!
    Por exemplo: o Quaresma chegou viu e venceu apesar de ainda não estar a 100% física e técnica.
    AM

    ResponderEliminar
  2. Para registo!

    Esta Direção da APAF devia ser banida do futebol, para bem da Verdade Desportiva e do próprio futebol. Este moço de recados da APAF já fez esta época várias declarações contra o FC Porto, Pinto da Costa, AS Braga, António Salvador e outros clubes do Norte.

    Nunca veio a público criticar as declarações injustas e agressivas de Benfica e de LF Vieira contra o árbitro Pedro Proença. A APAF nunca veio condenar as polémicas declarações de Bruno de Carvalho, que tem incendiado a arbitragem desde que chegou ao poleiro de Alvalade. A APAF nunca pediu um "castigo exemplar" para o presidente do Sporting nem pediu que este fosse "banido" do futebol. Lembro que Bruno de Carvalho e o jornal O Sporting já atacaram violentamente Duarte Gomes (que mereceu e merece as palavras de repúdio) e o árbitro-talhante Manuel Mota. Depois do ataque do Sporting a estes árbitros aconteceram actos de vandalismo que são sempre de lamentar e condenar. Será a APAF a Associação Portuguesa de Árbitros do Fifica? A quem obedece o moço de recados que preside a APAF? Aqui está um caso para o pasquim A BOLA investigar e publicar.

    ResponderEliminar

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.