domingo, 9 de fevereiro de 2014

Liga - FC Porto 3 Paços Ferreira 0

09/02/2014 - O resultado não traduz o que foi o jogo. Gostei da equipa do Paços um conjunto bem arrumado que procura jogar em antecipação, possui grande espírito de entreajuda e demonstra um perfeito entendimento entre todos os seus jogadores, com jogadas de laboratório bem ensaiadas e melhor postas em prática. Raramente executam um passe transviado!
Este é portanto um resultado lisonjeiro para os dragões que só na parte final deram um ar da sua graça quando o conjunto de Paços Ferreira se deixou desorientar.

Paulo Fonseca transformou uma equipa que costumava ser: autoritária, dominadora, numa equipa psicologicamente frágil a quem qualquer equipazita do meio da tabela da liga portuguesa consegue bater o pé e até criar jogadas de perigo que causam calafrios aos adeptos portistas! Só podemos tirar uma conclusão: a equipa portista já não inspira respeito (medo) às chamadas equipas pequenas do campeonato português!

FC PORTO
P. FERREIRA
18.ª JORNADA
343'  Quaresma  (pen)88'  Jackson Martínez 90+1'  Ricardo 
0








Domingo, 9 Fevereiro 2014

Estádio:Dragão, Porto - Competição:Primeira Liga - Assistência:17.307

Árbitro:Cosme Machado (Braga)

Assistentes:Alfredo Braga e Inácio Pereira

4º Árbitro:Luciano Maia

 FC Porto: 1 Helton (c), 2 Danilo, 23 Abdoulaye, 22 Mangala, 26 Alex Sandro (63')

25 Fernando (82'), 16 Herrera, 8 Josué, 7 Quaresma, 9 Jackson Martínez

17 Varela,

Suplentes: 24 Fabiano, 4 Maicon, 10 Quintero, (68' Josué), 11 Ghilas, 19 Licá
(78' Quaresma), 21 Ricardo, (90' Varela), 35 Defour

Treinador: Paulo Fonseca

Paços Ferreira: 1 Matias Degra, 13 Jaílson (14'), 3 Flávio Boaventura, 2 Tiago Valente (c)

22 Hélder Lopes (33'), 8 André Leão, 27 Rodrigo Antônio, 88 Seri (82'), 28 Del Valle

29 Minhoca, 33 Bebé

Suplentes: 45 António Filipe, 4 Romeu, (65' André Leão), 17 Nuno Santos,

19 Ricardo, 20 Sérgio Oliveira, (61' Rodrigo Antônio), 26 Fernando Neto,(55' Minhoca)

81 Manuel José

Treinador: Henrique Calisto

FC Porto - Site


Com golos de Quaresma (de penálti), Jackson Martínez (que assim passou para o primeiro lugar da lista de marcadores, com 14 golos) e Ricardo, o FC Porto venceu este domingo o Paços de Ferreira, por 3-0, e ascendeu, pelo menos provisoriamente, ao segundo lugar da Liga portuguesa, com 39 pontos. Do vendaval que a espaços assolou o Dragão, nasceu assim uma colheita positiva: os Dragões golearam e estão mais perto do topo da prova.

Em relação ao “onze” apresentado na recepção ao Estoril, na quarta-feira, em encontro da Taça de Portugal, registaram-se quatro alterações: Abdoulaye foi titular no centro da defesa (pela primeira vez desde que regressou do empréstimo ao Vitória de Guimarães, no início do mês), Fernando regressou ao meio campo, Josué permaneceu no lugar do lesionado Carlos Eduardo (que já tinha sido substituido pelo português na quarta-feira) e Varela reocupou igualmente um lugar nas alas.

A primeira parte trouxe um filme já visto e revisto no Dragão: um adversário fechado, com todos os jogadores atrás da linha da bola, e um FC Porto com dificuldades para circular a bola com velocidade e encontrar espaços. Ainda assim, os Dragões podiam ter-se colocado na frente do marcador logo ao sexto minuto: após um cruzamento de Quaresma, Rodrigo Antônio tocou a bola com a mão na grande área pacense, mas o árbitro fez vista grossa

Quem não tirou os olhos do jogo foi Helton, que impediu por duas vezes que a estratégia de contra-ataque dos forasteiros desse frutos: primeiro aos 18 minutos, a remate de Seri, e particularmente aos 25, quando Del Valle surgiu isolado e o guarda-redes portista evitou o golo com uma eficaz mancha.

A pouco e pouco, e como já vem sendo habitual, a produção atacante dos Dragões foi melhorando com o passar dos minutos: Quaresma fez o primeiro aviso aos 29 minutos, com uma trivela, Jackson rematou ao lado em excelente posição, aos 34, e, finalmente, aos 43, surgiu o golo. O árbitro Cosme Machado não deixou desta vez passar em claro uma mão na bola de Seri e Quaresma converteu, com tranquilidade, o penálti correspondente. Foi o segundo golo em jogos consecutivos do “Mustang”, que havia marcado precisamente no mesmo minuto frente ao Estoril.

No arranque da segunda parte, o FC Porto poderia ter feito o segundo golo, com Varela a cruzar para trás, para a zona de penálti, e Josué a obrigar Degra a uma grande defesa. Mais rápidos na reacção à perda de bola, os azuis e brancos foram espreitando os espaços nas costas da defesa pacense, que arriscou subir mais com o passar dos minutos. No entanto, essa reacção não permitiu ao Paços de Ferreira criar qualquer oportunidade de golo flagrante.

Pelo contrário, os Dragões aproveitaram os tais espaços, nos minutos finais, para construir um marcador gordo. Aos 88 minutos, Fernando recuperou a bola a meio-campo, deu para Licá - que entrou muito bem na partida - e este serviu Jackson na perfeição, com o colombiano a apenas ter de empurrar. Já nos descontos, Licá flectiu para o meio, rematou e obrigou Degra a defender para a frente. Oportuno, o recém-entrado Ricardo teve a felicidade de marcar na primeira vez em que tocou na bola. Sem realizar uma exibição brilhante, o FC Porto conseguiu vencer, numa jornada muito importante, e continua na luta pelo tetracampeonato.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.