sábado, 12 de julho de 2014

Golpada: As vicissitudes da Liga de Cubes

12/07/2014 - Subscrevo na integra o texto mencionado abaixo

Presidente da SAD do Estoril critica acerbamente Mário Figueiredo e a sua gestão da Liga de clubes
A actual situação da Liga preocupa Tiago Ribeiro.

"A Liga está com um problema gravíssimo e está em falência. Não tem dinheiro para sustentar o seu próprio funcionamento, quanto mais as Ligas profissionais. A LPFP tem dívidas com a Federação, tem dívidas com árbitros, com fornecedores, até com um dos patrocinadores, ou seja, é uma catástrofe para o futebol português. Coisa que nós vimos a alertar há algum tempo. Queríamos ter tomado medidas mais drásticas, mas foi impossível, porque entrámos com um pedido de assembleia-geral que foi negado repetidamente por um antigo presidente da mesa que é um completo cancro para o futebol (Carlos Deus Pereira conhecido como um homem muito próximo de Filipe Vieira), porque não tem capacidade nenhuma. Nunca apoiei essa gestão, nem no tempo da eleição . Não caí no conto do vigário e hoje deu no que eu. Espero que possamos ter tempo para recuperar", declarou Tiago Ribeiro.

"As consequências práticas é não ter dinheiro nem para arbitragem, nem para os carros dos delegados. Ou seja, não há dinheiro para começar o campeonato. Das duas uma: ou a Federação vai ter de assumir ou os clubes vão ter de pagar. Vamos ver os próximos passos. Ouvi dizer agora que esperam a legislação das apostas online. Mais um despreparo completo de uma administração de uma Liga de futebol profissional, mas não é nada que o Estoril e outros clubes não tenham dito. Infelizmente, para o futebol português é um dos piores momentos da sua história", continuou, sempre num tom muito crítico.

"A solução é limpar o que está lá. E acabar com aquilo que ficou com essa gestão nefasta, com essas pessoas que estão lá sem legitimidade nenhuma, num ato eleitoral fraudulento e criminoso. A primeira providência é fazer uma auditoria completa à Liga. Nós não sabemos o que existe dentro da Liga, os contratos, os documentos. Os associados não sabem de nada. Dizem que a culpa é dos clubes, mas a culpa é dos clubes que colocaram esse sujeito lá e que no momento mais oportuno não tiveram vontade de mudar. Para já, muitos clubes vêm tentando e não conseguem. Os tribunais foram associados, a promotoria, o ministério publico. Está na mão da Justiça e das autoridades. Mas a primeira coisa é tirar essas pessoas de lá. Estão a acabar com o futebol português. Tomaram de assalto a organização responsável pelo financiamento das competições e estão destruindo isso", rematou Tiago Ribeiro.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.